Gian Calvi – 50 anos de criatividade





Semana passada, enquanto eu vagava pelos centros culturais e museus do Centro do Rio, resolvi entrar no Centro Cultural Correios (coisa que já não fazia há muito tempo), para ver se estava rolando algo interessante. Estava até desmotivado, devido às experiências anteriores. Tudo muito conceitual e introspectivo. Um exercício de paciência no meio de tanta piração artística. Mas desta vez eu tive que parar e dizer: Agora vocês acertaram!




Nada menos que uma exposição de Gian Calvi, um artista que eu respeito MUITO, dentro da área de ilustração, simplesmente por ter criado todo o visual infantil de uma época! Se você não sabe quem ele é deve continuar a ler este post e lembrar de capas de livros, cartazes e outros trabalhos que passaram por nossos olhos e ficaram marcados na memória.



De 20 de abril a 23 de maio, o Centro Cultural Correios exibe a expoxição “Gian Calvi”, sobre o próprio. Mostrando em quatro salas os 50 anos de um estilo que pode ser definido como “um resgate à eterna infância”. Foi uma surpresa e uma grande emoção andar pelas salas e me espantar com imagens que eu nem lembrava e algumas que só conheci por interrnédio dos meus pais, ou por bibliotecas antigas (onde eu ficava quando matava aula), como capas de livros de Clarisse Lispector, Stephen King, Agatha Cristie ou a clássica capa do Dicionário Aurélio (aquela com sobreposição de letras, em tom amarelado).


A exposição é dividida em quatro temas:

Literatura Infanto-Juvenil: o espaço apresenta ao público a ampla e premiada obra literária de Gian Calvi, que possui mais de 120 títulos publicados no Brasil, Estados Unidos, América Latina, Europa, Oriente Médio e Japão. Entre os destaques estão “Quando a Onça Ganhou suas Pintas”, “João e o Pé de Feijão” e “Um Mundo para Todos”, editado pela Unesco, publicado em sete países e com mais de um milhão de cópias vendidas no Brasil. Também estão expostas ilustrações de Calvi para livros de renomados autores, como Lygia Bojunga Nunes, Raquel de Queiroz e Clarice Lispector, entre outros.

Design Gráfico/ Publicidade & Propaganda: neste módulo, o visitante poderá entrar em contato com as principais criações publicitárias e conceitos criativos de Gian Calvi, além de conhecer um pouco mais de sua vasta produção editorial. Ao longo de sua vida publicitária, iniciada na recém criada TV Globo nos anos 60, Calvi desenvolveu logotipia para importantes empresas, como a própria TV Globo. Um dos fundadores da Casa de Criação, Calvi também participou de campanhas publicitárias de companhias no Brasil e no exterior. O espaço também apresenta outra faceta reconhecida de Calvi. Criador de capas e ilustrações para diversas editoras nacionais, o artista atuou em projetos gráficos de premiados autores brasileiros e estrangeiros, como Jorge Amado, Cecília Meirelles, Erico Veríssimo, Stephen King e Agatha Cristie. Entre as obras expostas está a sua clássica capa do Dicionário Aurélio, de 1977, com as letras sobrepostas.



Filatelia: a exposição faz uma viagem no tempo e mostra a evolução da filatelia no Brasil, com destaque especial para a importante contribuição de Gian Calvi. Durante a década de 70, como consultor artístico e designer da Empresa Brasileira de Correios e Telégrafos (Correios), Calvi participou da revitalização da produção de selos, carimbos e fascículos, ajudando no fortalecimento da identidade filatélica brasileira, reconhecida internacionalmente. Estarão expostos materiais filatélicos em seus vários estágios, publicações especializadas nacionais e estrangeiras, além de reportagens internacionais sobre a qualidade da produção brasileira no período, com destaque para uma matéria do prestigiado The New York Times.



Responsábilidade Social e Ambiental: cidadão do mundo, Gian Calvi emprestou seu talento artístico para ações socioambientais na América Latina e Caribe. A exposição conta um pouquinho dessa história, apresentando ao público os diversos programas criados e coordenados por Calvi para empresas e organismos internacionais como ONU, Unesco, Unicef, Organização dos Estados Americanos (OEA), Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID), Petrobras, entre outros.



Além da exposição das peças, a mostra também está aberta a grupos de estudantes da rede pública e particular e das crianças do projeto Plataforma dos Centros Urbanos, da Unifef. Os visitantes encontrarão um espaço interativo com recreações que estimulam o gosto por arte, criatividade e leitura. Uma das atividades é sobre o ponto de vista que a pessoa tem sobre o “gostar e o não-gostar”, pensando num animal que você goste e outro que você odeie e desenhar um híbrido deles. Estimular a imaginação é algo que deve ser explorado desde cedo!
 
Se você gosta de ilustração (e está no Rio de Janeiro) é um DEVER visitar essa mostra. Olhar para o passado e enxergar as referências de muitos artistas atuais, num estilo que marcou toda uma geração.


CENTRO CULTURAL CORREIOS
Rua: Viscondi de Itaboraí, 20, Centro (atrás do Centro Cultural Banco do Brasil)
Tel.: (21) 2253.1580


Período: 20/4 até 23/5/2010
Visitação: de terça a domingo, das 12h às 19h (entrada franca)
Agendar Visita Escolar: Falar com Lusimar Andrada (21) 8104.9657



mapa da exposição



Visite: Site de Gian Calvi
          Pagina do Centro Cultural Correios


#avg_ls_inline_popup { position:absolute; z-index:9999; padding: 0px 0px; margin-left: 0px; margin-top: 0px; width: 240px; overflow: hidden; word-wrap: break-word; color: black; font-size: 10px; text-align: left; line-height: 13px;}

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *