Sustentando um videogame atual legalmente no Brasil: algumas opções

consoles

Como já comentei na análise sobre Eternal Sonata, eu comprei um PS3. É o videogame atual que economicamente é mais difícil de obter e manter. E assim como foi dito no post “antecessor” desse, a parte mais difícil é levantar fundos para adquirir o console. E também lembro que a conclusão alcançada no post anterior sobre ser possível ter um videogame sem recorrer a desbloqueios e etc. aqui no Brasil tem suas restrições (mas é possível). Se o sujeito vive de salário mínimo e tem que sustentar família, fica impossível mesmo de se bancar um videogame, mesmo um anterior à geração atual. Eu vou, aqui no post, mostrar algumas opções para quem queira comprar e manter (especialmente na parte de “manter”, comprando jogos) um videogame atual sem recorrer à pirataria e usarei o meu caso como exemplo, com meu PS3, mas certamente quem quiser (ou já tiver) um XBox 360 ou Wii poderá aproveitar algumas ideias aqui expostas, até porque o PS3 é, muito provavelmente, o mais difícil de sustentar, como já foi mencionado.

O mais difícil: adquirir o console

Para adquirir o seu console, há duas opções básicas: a primeira (que foi o meu caso) é você juntar a grana e, com ela em mãos, correr atrás do seu console. A outra é apelar pra cartão, cheques-pré e similares. A segunda é mais perigosa, mas é a única solução para alguns. Essa opção realmente vai da situação de cada um e não cabe a mim divagar muito sobre isso. Com suas contas feitas e sabendo que você pode comprar seu console (ou até já estando com o dinheiro em mãos), o próximo passo é pesquisar. E a pesquisa há de ser tanto virtual (em sites como Submarino, Americanas.com, Ponto Frio, Fast Shop, Ricardo Eletro…) e também e lojas físicas (Lojas Americanas, Ponto Frio, supermercados…). Importante ressaltar que não se pode descartar a ida a lojas físicas, visto que as unidade têm independência (maior ou menor, dependendo da rede) para fazer ofertas, promoções-relâmpago, etc. e nada impeça que seja seu dia da sorte… para mim foi! Eu achei o PlayStation 3 vendendo em uma loja física pelo mesmo preço que estava no site mais barato (e ainda confiável) que eu achei, mas com uma vantagem (inerente à compra direta em loja física): entrega imediata. Eu desembolsei a grana e saí com meu Play3 em mãos, gastei mais R$ 10,00 de táxi e cheguei em casa com ele são e salvo. Nada de esperar transportadora, ficar plantado em casa para não perder a entrega e ter que lidar com eventuais (e não raros) atrasos…

Ainda de quebra ganhei um desconto que usei para contratar uma garantia estendida. Comprei ainda uma antena para minha TV e um cabo HDMI que, como posteriormente constatei, era de baixa qualidade e deixa passar interferência no modo 1080p. Em 720p ou 1080i ele funciona numa boa (fica a dica pra quem está com problemas em jogar no PS3 usando 1080p, teste mudar as settings pra usar “só” até 1080i ou 720p e veja se a coisa melhora). Então, ele ficou em modo quebra-galho até que eu tomei vergonha na cara e comprei um cabo decente.

Supondo que você tenha escolhido o modo como vai contornar o problema de conseguir o console, eu deixo uma dica para quem for juntar o dinheiro. Em algum momento de sua “juntação”, separe uma graninha, ou junto um bocado além do necessário para comprar o console e adquira um ou dois jogos (lembre-se: eu estou contando que você não quer e não vai piratear nada). De nada adiantará você ter seu console em mãos sem ter o que jogar. Se a situação tá meio preta, compre apenas um, mas escolha-o com sabedoria: compre um jogo que demorará para ser zerado e que tenha um bom “second gameplay value”, ou seja, um que além de você não virar instantaneamente, valha a pena ser jogado (no mínimo) mais uma vez. Eu, como fã de RPG e RPG/estratégia não tenho problemas nesse quesito, a maioria dos jogos que eu gosto demandam um bom tempinho debruçado sobre eles e a maioria deles tem alguma mudança na segunda vez em que se joga. Se a coisa não está tão apertada você pode comprar mais de um jogo e, quando for comprar o console, já terá opções do que jogar.

No meu caso particular, a compra foi adiantada em relação aos meus planos originais. Apesar de não ser nada demais o ocorrido, é coisa particular e não me convém ficar contando na internet, mas pode-se dizer que eu acabei sendo pego de surpresa com a chance (e quase obrigação) de comprar uma TV nova e, de quebra, um videogame novo. Por conta disso, eu só tinha 1 título já comprado em antecipação ao videogame (que era o Disgaea 3) e tinha uma reserva feita (Atelier Rorona) pra quando o novo jogo fosse lançado, mas em mãos mesmo (Rorona foi lançado um ou dois dias depois de eu ter comprado o VG, mas só chegou lá em casa bem depois), eu apenas possuía 01 título. De posse do VG e com apenas 01 jogo em mãos (e pouco tempo de férias restante à época), fui atrás do prejuízo (com o que tinha sobrado de 02 anos de economias torradas em 02 dias) e resolvi conectar o PS3 à internet, o que nos leva ao próximo tópico do post…

Usando o Console Conectado à Internet:

Eu vou aqui citar literalmente meu exemplo com o PS3, mas soluções similares existem para outro videogames e, em breve, talvez elas se tornem dispensáveis, visto que a Live do XBox está para chegar no Brasil e é possível que a PSN e PS Store acabem vindo também (já é possível cadastrar um endereço brasileiro na PSN, mas ainda não há PS Store por aqui). Após visitar muitos sites e fóruns procurando como se cadastrar na PS Store, eu descobri que praticamente 100% dos macetes que permitem ou permitiam a você comprar créditos diretamente podem ser ou foram descobertos e “banidos” pela Sony. Então, a todos nós, donos de um PS3 e não-felicitados com o nascimento (ou residência) em um dos locais onde existe a Store, ficamos com basicamente uma opção viável e razoavelmente segura, embora um pouco mais cara: adquirir cartões pré-pagos (e com ágio). Você não precisará usar nenhuma estratégia louca na hora de se cadastrar na PSN, EXCETO que você vai substituir um certo detalhe seu por outra coisa: terá de usar um endereço americano válido (e com CEP). Por mais espantoso que isso possa parecer para alguns, na era do Google Maps, você pode ser espirituoso e procurar no GMaps por “Microsoft, Redmond WA” e catar algum ponto de referência próximo, clicar e voilá, um endereço americano autêntico e genuíno (o número de CEP a ser indicado no cadastro da PSN são apenas os 05 primeiros dígitos do CEP). Para a Sony, você agora é vizinho da empresa do Tio Bill (ironias, eu as adoro). Mentir é feio, mas não nos resta muitas opções. Você pode fazer algo semelhante mas com Portugal, por exemplo, caso queira se cadastrar na PS Store europeia.

Com o endereço americano (ou o que você resolver usar, mas válido e em algum lugar do globo onde exista PS Store) devidamente reconhecido, você, mesmo sem créditos, pode baixar demos de jogos de graça, para descobrir se vale a pena empenhar seu dinheiro na compra de tal jogo. E tal jogo pode ser desses “convencionais” que você adquire em um disco (DVD, BD, etc.) ou pode ser um jogo que você baixa pela própria rede própria do videogame e tem que ter créditos para fazê-lo. Como já citado, o meio mais seguro de conseguir créditos sem dor de cabeça é via cartões pré-pagos, mas como conseguir os cartões?

Bom, existem muitos sites que vendem os cartões: alguns enviam os os cartões em si, outros apenas os códigos (via e-mail). Como em tudo na vida, há aqueles sites em que não se pode confiar e há aqueles em que se pode. Bom, nesse quesito eu ainda estou engatinhando: só comprei créditos duas vezes e na mão do mesmo sujeito que achei no Mercado Livre (a 2ª vez foi uma promoção da loja virtual dele), eu não posso garantir que ele vá continuar vendendo créditos ad eternum nem que um dia não vá dar a louca nele, mas quem quiser, use o Google para procurar pela Zero3games. Nas duas vezes que comprei com ele, o código do cartão chegou ao meu e-mail minutos depois da confirmação do pagamento e eles funcionaram na PS Store sem problema. Quem quiser pode usar o Google para procurar outras lojas virtuais que vendam os cartões pré-pagos com talvez menos ágio e caçar a reputação delas em fóruns, etc. A eStarland vende cartões também, mas não sei se eles aceitam enviar o código pelo e-mail ou se eles apenas remetem os cartões (aí rola custo de frete). Falarei mais sobre a eStarland mais a frente no post.

De posse do cartão / código, basta inserir os créditos na PS Store, achar o jogo desejado (além de jogos para PS3 propriamente ditos, há vários jogos de PC convertidos e há também muitos jogos de PS One que você pode baixar para matar a saudade no PS3, incluindo Final Fantasy VII, VIII, IX e Tactics, Syphon Filter… acho que Metal Gear Solid também estava por lá), fazer a compra e baixar o jogo pela PS Store, instalar e partir pro abraço!

E para comprar os discos?

Se seu jogo não for “downloadeável”, você terá que adquiri-lo (obviamente) numa mídia física. Isso gera uma infinidade de possibilidades, mas vamos por partes. Se você não possui cartão de crédito internacional ou conta no Paypal, suas opções não são tantas. Você pode adquirir os seus jogos em lojas físicas tradicionais ou em lojas virtuais já bem conhecidas, o que, em definitivo, não é a opção mais econômica (exceto você consiga achar o jogo que você queira em promoção), embora seja a mais segura.

A segunda maior opção e que lhe dá mais chances de economizar uns trocados (mas aumenta as chances de ser tapeado) é procurar no Mercado Livre. Eu adquiri meu Eternal Sonata lá e de quebra trouxe um Bayonetta usado (metade do preço de um novo e disco em muito bom estado para um jogo que eu só vou jogar quando cansar -temporariamente- de RPG’s, está ótimo). Só a título de curiosidade, eu comprei do usuário Leo Navega, que mora em Nova Friburgo, Rio de Janeiro. Pelas minhas contas, o Eternal Sonata saiu definitivamente mais caro que se eu importasse, mas o frete custou mais ou menos a mesma coisa (ou até mais barato, dependendo das opções de frete internacional disponíveis) e a demora foi bem menor do que esperar vir do exterior. Se vale a pena ou não comprar no Mercado Livre, varia de caso a caso e sempre é necessário ter cuidado com “de quem se compra”. Se você já é velho de guerra nesse tipo de site, provavelmente esta seja a melhor opção custo / benefício x risco para quem não tenha cartão internacional.

Você pode ainda usar esses sites de busca de preço (tipo BondFaro ou Buscapé), mas esse é terreno pelo qual não tenho o hábito de andar, então não posso falar muita coisa.

Mais uma alternativa: assim que eu entrei para meu atual trabalho, eu não possuía cartão internacional e só conhecia o PayPal de nome. Nessa época eu conheci a Katamari Toys. Se você for fuçar a página, na seção de games, verá alguns itens interessantes por lá, mas talvez nada que lhe interesse pessoalmente. No entanto, o responsável pela loja tem uma certa facilidade em encontrar e importar jogos (e edições limitadas destes), alguns até mesmo antigos. Pode ser uma boa oportunidade se você está com dificuldades em encontrar o jogo que você quer por aqui e não tem cartão internacional para fazer a compra diretamente do exterior. Dele vieram meu Makai Senki Disgaea (conhece? Que tal algumas dicas para ele?), Mana Khemia “Scholarship Edition” (que possui um review aqui no Aglomerado News – dividido em parte 1 e parte 2) e Fate/Unlimited Codes (edição limitada), todos para PS2. Outras pessoas/lojas virtuais podem prestar o mesmo serviço se você procurar pela internet, mas essa aqui eu já usei e não tive problema, exceto por uma lambança dos Correios.

Se você tem cartão de crédito internacional, ha mais um bocado de possibilidades. Algumas empresas de jogos têm sua própria loja virtual, como é o caso da NIS America, que possue a NISA Online Store. Lá eu comprei vários jogos deles, quase sempre as versões Deluxe por preços decentes e frete não-extorsivo. Eu não posso afirmar que a chance de a alfândega deixar seu jogo passar sem taxação seja 100%, mas até hoje nenhuma encomenda minha dessa loja foi taxada pela alfândega (claro que eu não uso o frete expresso / mais caro), o que significa que eu paguei de 30% a 75% menos que eu pagaria para comprar o mesmo jogo aqui dentro numa loja física (dependendo da loja e de eventuais ofertas/promoções), fora que versões Deluxe são raras de se achar em lojas nacionais. Da NISA Online Store vieram meu Disgaea 3 “Alma Mater Set” e meu Atelier Rorona (também a versão Deluxe), além de alguns jogos de PS2.

Você pode também comprar em lojas conhecidas como a Amazon.com ou o Play-Asia. Nenhum dos dois é a sua opção internacional mais barata, mas se você é paranoico ou se sente inseguro de comprar em sites “desconhecidos”, eles são opções confiáveis. A Amazon às vezes embaça pra mandar aqui pro Brasil (especialmente quando quem está vendendo é uma lojinha online hospedada dentro da Amazon) e o frete deles é dolorido, mas  se você prefere gastar bem e ter certeza de que vai receber, essa é uma das suas melhores opções internacionais. O Play-Asia eu não usei (ao menos ainda) pra comprar jogos de Play3, mas meu Melty Blood Actress Again de PS2 veio de lá (eu sei que eu comprei outro jogo lá, mas não lembro qual… talvez meu Persona 4 edição limitada), além de ter comprado algumas figures. O frete deles via Airmail não é caro e nem sempre a nossa alfândega resolve taxar (mais da metade das minhas encomendas de lá passaram direto). Apenas tenha cuidado pois eles vendem as versões japonesa, asiática, europeia e americanas do mesmo jogo (claro, quando há mais de uma dessas disponível), então tenha certeza de comprar o jogo da região/na língua certa, ou você pode ter uma surpresa não muito bacana depois.

Assim como há o Mercado Livre por aqui, há o Ebay fora daqui. Se no Mercado Livre você tem um leque muito grande de opções, no Ebay você tem um mundo inteiro a explorar. O site tem muita coisa de tudo o que você puder imaginar e, claro, a parte de games está inclusa. Vale o mesmo cuidado com “de quem se compra”, mas se o Mercado Livre tem preços atrativos porque tem muita gente vendendo a mesmo coisa, a proporção desse aspecto no Ebay beira o ridículo em alguns casos, você pode achar gente vendendo coisas por preços tão baixos que chegam a ser suspeitos, mas olha na reputação do cara e vê 20, 30 pessoas que compraram aquele item e elogiaram o sujeito. Claro, isso não acontece sempre e seu “desconfiômetro” tem que estar sempre ligado. Para preços ridiculamente baixos sem precisar esperar por oferta realmente boa de loja, esse site é sua melhor opção (o que não significa que você necessariamente achará o que quer por um preço bem baixo, mas… a chance existe). Há também o outro lado da moeda: se o jogo que você quer você já não acha em lugar nenhum, mas achar por lá, prepare-se para um assalto a mão desarmada… Quer um exemplo? Procure por Trinity Universe na eStarland (esgotado, mas dá pra ver o preço que custava) e compare com os preços do Ebay (repare no itens “Buy It Now”, que são vendas diretas, os demais são leilões)…

Existem algumas lojas virtuais (ou variantes virtuais de lojas físicas) que têm um forte/são dedicadas exclusivamente a jogos. Você pode usar o Google atrás de algumas delas e dar uma checada em fóruns pela reputação destas, mas dentre elas eu vou, novamente, fazer um destaque para a eStarland. Eu comprei meu Senjou no Valkyria (Valkyria Chronicles nos EUA) lá e ele me alcançou sem contratempos ou taxas de alfândega. Depois já fiz uma encomenda para 3D Dot Game Heroes e Cross Edge, que também me alcançou a salvo. A loja é americana, mas possui uma página em “Português”, feita especialmente para os brasileiros, que estamos entre os “maiores clientes internacionais”, segundo eles. Como o (restante do) site é em Inglês, até um tutorialzinho pra galera que pena neste idioma eles prepararam.

Além disso, na eStarland, você pode pedir um “pacote personalizado”, o “Per-Pack Service“: por uma pequena taxa extra no frete, sua embalagem vem escrita a mão e sai de uma pessoa física (para quem não sabe, encomendas de até US$ 50,00 entre pessoas físicas ou “encomendas não comerciais”, como também são chamadas, até esse valor são isentas de imposto de importação). Mais chances de seu jogo escapar da multa taxação da alfândega.

Para quem já comprou em lojas virtuais (e já conhece como “etiquetas oficiais” de lojas virtuais são) e está curioso de como ficaria um embalagem com o “Per-Pack Service”, duas embalagens para ilustrar o post e saciar sua curiosidade:



Tudo preenchido a mão

Tudo muito bom, tudo muito bem. A teoria é bonita, mas que tal um pouco de prática? Comparando compras de jogos: Importação x adquirido aqui dentro:Vou tomar como exemplo o jogo Eternal Sonata (a versão de PS3), que comprei no Mercado Livre e vejamos por quanto deveria sair o mesmo jogo em outros meios.

* Adquirido via Mercado Livre: Eu paguei R$ 109,98 + R$ 15,00 de frete (Sedex, dentro do mesmo estado) = R$ 124,98

Outras opções “aqui dentro”:

– Submarino (loja virtual “tradicional”/confiável): R$ 249,00 (frete grátis)

– Bondfaro: dois resultados – R$ 249,00 (Submarino) e R$ 289,00 (Shoptime, também com frete grátis)

– Buscapé: quatro resultados – os dois acima mais uma tal de ClickDireto (R$ 149,90 + R$ 21,00 de frete para o meu CEP. TOTAL: R$ 170,90) e uma outra loja virtual chamada Eb Games (R$ 129,99 + R$ 8,90 -frete via PAC- OU + R$ 17,60 -frete via SEDEX- num TOTAL: R$ 147,50 no frete com SEDEX, para uma comparação mais equilibrada com os outros serviços). Só para constar: desconheço completamente essas duas últimas lojas, então não posso falar nada (nem bem, nem mal) sobre elas.

Opções internacionais:

– Play-Asia: US$ 34,90 + US$ 7,40 (2ª opção mais barata de frete) = US$ 42,30. Fazendo a cotação do dólar a 1,70 daria: R$ 71,91

– eStarland (com Per-Pack Service): US$ 28,95 + US$ 13,00 (segundo frete mais barato) = US$ 41,95. Com dólar a 1,70: R$ 71,31

– eStarland (sem Per-Pack Service): US$ 28,95 +US$ 10,00 (segundo frete mais barato) = US$ 38,95. Com dólar a 1,70: R$ 66,21

– Ebay: US$ 19,94 (preço mais baixo de vendedor que envia para fora dos EUA) + US$ 14,95 (frete via Airmail) = US$ 34,89. Com dólar a 1,70: R$ 59,31. Nota: o preço do Airmail no anúncio dizia “para o mundo todo”, mas, às vezes, dependendo do lugar, ele é mais caro… e de vez em quando a América do Sul está inclusa nesse “dependendo do lugar”.

Resultado:

Todas as opções internacionais são absurdamente mais baratas que as opções nacionais e o Mercado Livre, dentre as opções nacionais, foi a barata. Mesmo que o Dólar estivesse a R$ 2,00, mesmo a opção mais cara internacional ainda estaria mais em conta que adquirir o jogo aqui dentro. Eu só comprei no ML porque queria curtir o Eternal Sonata nos meus último dias de férias. Se alguém me perguntasse, eu, particularmente, escolheria comprar na eStarland, com o Per-Pack Service (prefiro pagar uma meia dúzia de Reais a mais a correr um risco maior que o necessário de ser taxado na alfândega). Claro, se sua encomenda for pescada e taxada na alfândega, a coisa muda um pouco de figura, mas em alguns casos (como a eStarland com o Per-Pack Service), se você mantiver o valor da encomenda baixo (não trazendo 1 dúzia de jogos juntos), é bastante tranquilo e as chances de sua encomenda passar batida na alfândega são astronômicas, embora nunca se possa saber quando a Lei de Murphy vai sorrir para você.

Vamos a um segundo exemplo? Dessa vez tentemos o contrário: um jogo que eu trouxe do exterior: Senjou no Valkyria (Valkyria Chronicles nos EUA):

* Adquirido via eStarland, com Per-Pack Service: US$ 28,95 + frete (USPS Priority Mail) US$ 19,00 = US$ 47,95. Considerando o Dólar a 1,70: R$ 81,51

Mais opções internacionais:

– Play-Asia: US$ 34,90 (promoção, preço normal US$ 44,90) + frete (segundo frete mais barato) US$ 7,40 = US$ 42,30. Fazendo a cotação do dólar a 1,70 daria: R$ 71,91

– Ebay: US$ 26,94 (preço mais baixo de vendedor que envia para fora dos EUA) + US$ 14,95 (frete via Airmail) = US$ 41,89. Com dólar a 1,70: R$71,21. Nota: o preço do Airmail no anúncio dizia “para o mundo todo”, mas, às vezes, dependendo do lugar, ele é mais caro… e de vez em quando a América do Sul está inclusa nesse “dependendo do lugar”.

Procurando por aqui, no Brasil:

– Submarino: R$ 249,90 (frete grátis)

– BondFaro: 3 Resultados – Submarino (visto acima), Americanas.com (R$ 189,90, frete grátis) e uma tal de Multistock (R$ 158,47, já com 10% de desconto para pagamento à vista + R$ 34,10 de SEDEX num TOTAL: R$ 192,57)

– Buscapé: Mesmos resultados do BondFaro e um extra: novamente a Eb Games (R$ 159,99 + R$ 8,90 -frete via PAC- OU + R$ 17,60 -frete via SEDEX- com TOTAL: 177,59 para frete via SEDEX).

– Mercado Livre: R$ 99,98 + Frete (R$ 7,00 por Carta Registrada, como esse vendedor é da mesma cidade donde saiu meu Eternal Sonata, eu posso prever que o custo do SEDEX seria o mesmo, R$ 15,00, com um TOTAL de teoricamente -contando que eu tenha acertado o valor do SEDEX- R$ 114,98).

Resultado:

A goleada parece ter sido um pouco menor, mas ainda assim, contando com a não-taxação da alfândega, a diferença para as opções internacionais é bem grande… e contando que há como fazer a roleta pender para o seu lado, a opção de importar parece ser muito vantajosa.

Resumo da Ópera:

O objetivo maior deste post foi mostrar com exemplos mais concretos (até porque eu agora já testei mais das opções que eu julgo mais vantajosas) de como é possível adquirir jogos originais por um preço “menos salgado” do que parando na primeira loja e comprando. Se você considerar que o mesmo jogo pode custar quase R$ 300,00 ou menos de R$ 75,00, há que se notar que saindo da 1ª opção para a 2ª, um número absurdo de pessoas que não poderiam comprar de jeito nenhum passaria a poder.

Ainda que fiquemos restritos ao território brasileiro, uma boa pesquisada nos faria sair, digamos, dos mesmos “quase R$ 300,00” para os R$ 124,98 que eu paguei pelo Eternal Sonata.

A conclusão mais forte que se pode chegar é: se você conseguiu levantar cerca de R$ 1.200,00 (foi o preço que eu paguei pelo meu PS3 Slim 120 GB no finalzinho de Setembro de 2010, pode ser um bocado a mais ou a menos, dependendo de qual VG você esteja comprando) para comprar um console, em via de regra você terá condições de comprar jogos para ele, basta pesquisar com calma que dá pra se achar jogos por um preço razoável. Se você não tem condições de levantar a grana nem pro console… por isso eu digo: é possível, sim, sustentar um console atual legalmente no Brasil, desde que você tenha condições financeiras de adquirir o console em si.

Quanto à compra de jogos: se você tem condições de comprar direto do exterior (cartão internacional / conta no PayPal), você tem grandes chances de conseguir trazer o jogo mais barato do que você encontrará por aqui, especialmente se você usar as sugestões deste post para diminuir as chances de ser taxado na alfândega ou alguma outra opção equivalente que você conheça/descubra por aí (opção legal, né, gente). Nenhuma opção aqui é ilegal ou contrabando, seu jogo importado estará 100% regular, apenas guarde os documentos que vêm com ele, assim como você guardaria a nota fiscal de uma compra interna. Se você quer economia máxima, suas maiores chances estão no Ebay. Se você não quer correr o risco de ser tapeado por um eventual espertalhão virtual e quer ter boas chances de não ser taxado na alfândega, a eStarland me parece ser a melhor opção (isso, claro, dentre as que eu conheço e expus aqui).

Se você não tem como comprar direto do exterior ou se você precisa recorrer às prestações para poder adquirir um game, há opções aqui dentro do BR que são acessíveis e, mesmo no Mercado Livre, muitas vezes pode-se parcelar usando o Mercado Pago. Dependendo da sua sorte, a diferença de preços entre os achados por lá e os obtidos no exterior pode não ser muito grande.

Espero, sinceramente, que boas almas à procura de um help para conseguir seu jogos originais por um preço mais favorável possam achar utilidade nesse post. E reforço a mensagem: eu usei aqui exemplos das minhas experiências com o PlayStation 3, mas praticamente tudo o que aqui está escrito pode ser aplicado para qualquer outro videogame da geração atual e até mesmo para alguns VG’s de gerações anteriores.

Rafael-san, O Enxugador de Gelo

Comments

  1. Responder

  2. Responder

  3. By Albino

    Responder

  4. Responder

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *