Microsoft realmente errou em sua nova política de jogos ?

XboxOne1
A E3 terminou e para a grande maioria dos jogadores ficou aquele gosto de vitória por parte da Sony diante de seu anúncio de não controlar os jogos usados e não obrigar uma conexão a cada 24 horas para poder jogar.

Analisei durante as últimas semanas essa nova política da Microsoft e não tenho nada contra essa nova política, e vou explicar nas próximas linhas o porque…

Passei os últimos dez anos jogando exclusivamente no PC, os baixos preços dos jogos eram um grande motivo para ser fiel a essa “plataforma” e nesse meio tempo conheci o Steam, que faz muito sucesso e possui alta aceitação no mercado, sendo responsável por manter o mercado de PCs e não deixa-la morrer completamente.

Pode parecer exagero o que eu disse acima, mas percebam que a grande maioria dos jogos hoje que estão saindo para PC quase que exclusivamente vem no formato digital, e praticamente a maioria dos jogadores estão preferindo adquirir seus jogos dessa maneira.

E durante todos esses anos, nunca vi os jogadores reclamarem da impossibilidade de revender os jogos comprados na plataforma, apesar de alguns jogadores tentarem fazer isso vendendo suas contas, a possibilidade de ser descoberto pelo Steam e ter a conta banida perdendo todos os jogos comprados sempre fizeram os jogadores não tentarem fazer isso de maneira desordenada.

Mesmo com esses defeitos, não deixei de comprar jogos para ele e continuar usando ele de maneira quase que exclusiva no PC.

Logo, comparando a política da Microsoft com o Steam, vemos claramente que a da Microsoft é melhor que sua concorrente do PC, pois o Xbox One permite que um jogo comprado em sua conta possa ser dividido com até DEZ membros de sua família no mesmo console, e caso você não goste dele você ainda pode vende-lo para um amigo ou em alguma loja autorizada da Microsoft.

E quanto as mídias físicas ? Jogos do PC que usam o sistema do Steam e são vendidos em lojas também são atrelados a conta do Steam e não podem ser revendidos, tornando a mídia física desnecessária já que futuras instalações acabam sendo mais fáceis fazer pela internet pois assim baixamos logo a versão mais nova do jogo.

E quanto a estar online para jogar, o Steam até permite você jogar off-line, mas esse modo nunca funciona muito bem e vira e mexe você não consegue iniciar o jogo de maneira adequada, logo acaba se tornando obrigatório estar online para apreciar de maneira adequada.

Ou seja, no Steam não existe politica para jogos usados, seus jogos vendidos em mídia física também não podem ser revendidos e estar online é uma obrigação, e mesmo assim é a plataforma que mais cresce e que tem dado muitos lucros as desenvolvedoras. Logo eu compreendo totalmente o porque da Microsoft estar trazendo esse tipo de comercio para seu console.

O mercado digital tem crescido de maneira muito rápida, aplicativos, livros, filmes e músicas são vendidos cada vez mais na mídia digital e me parece perfeitamente normal que os jogos passem a ser vendidos dessa maneira também.

É claro que o publico gamer se acostumou durante as ultimas décadas com uma total falta de controle das empresas com relação aos seus jogos, o que pode ser bom para eles mas é péssimo para as produtoras, que acabam vendendo muito menos do que poderiam vender, e com o alto custo de produção dos seus jogos, tentar vender o máximo possível de unidades é o que eles vão perseguir.

Isso sem tirar o fator pirataria, que muitos jogadores acabam defendendo como maneira de fugir do alto preço dos jogos, sem se dar conta que essa é justamente um dos fatores que fazem os jogos se manterem com preços altos.

Logo, acredito que o Xbox One não foi derrotado pelo Playstation 4 como muitos proclamam, se a Xbox Live conseguir com o tempo trazer preços competitivos como o Steam e assim trazer novos jogadores para a plataforma, e os jogadores perceberem que não é tão absurdo assim essa nova política, a Microsoft pode acabar conseguindo uma vitória importante que pode manter o lucros das produtoras e baixar o preço dos jogos para os jogadores, que assim como os do Steam, não vão se ver preocupados em vender os jogos adquiridos.

Nos resta agora aguardar até o ano que vem e comparar a quantidade de vendas de jogos nas duas plataformas, e assim vermos se o novo mercado digital vai pegar de vez e se consolidar nos consoles como aconteceu no PC, o que na minha opinião, tem muitas chances de acontecer.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *