Epic comenta sobre mercado de jogos no PC

Quem joga no PC sabe que a Epic sempre foi uma empresa voltada para este mercado. Toda a série Unreal nasceu e foi durante muito tempo feita de forma prioritária para essa plataforma.

Mas com a nova geração de consoles seus jogos passaram a ser desenvolvidos de forma inversa, sendo feitos primáriamente para consoles e posteriormente convertidos para PC, isso quando são lançados para ele. Afinal de contas o que aconteceu ? Veja o que o chefe da Epic Mike Capps disse em entrevista a revista Edge…

A primeira declaração que ele dá é que a pirataria já causou seu impacto, justificando a prioridade que a Epic dá hoje em dia para consoles.

Ele diz que há 6 anos atrás, qualquer um que visitasse as instalações da Epic, veriam que todos os jogos desenvolvidos por lá eram para PCs. Mas que isso mudou e hoje em dia todos perguntam o porque deste aparente ódio aos PCs e a resposta é bem simples: Porque o dinheiro está nos consoles.

Mike Capps diz que ama a plataforma PC e que ainda são desenvolvidos jogos para ela, mas o impacto da pirataria foi tão forte que várias companhias independentes foram fechadas e fizeram com que eles mudassem completamente o modelo de negócios.

Para ele a salvação está nos jogos sociais como os do facebook, pois as produtoras estão vendo que a grande maioria dos jogadores nessa plataforma estão dispostos a gastar pouco de vez em quando, e esse modelo tem mostrado sucesso.

Achei bastante interessante essa entrevista de Mike Capps, apesar de achar que existe um pessimismo exagerado da parte dele, visto que a pirataria não ataca somente este mercado mas o dos consoles também.

Principalmente por ter equipamentos das mais diferentes configurações, é muito difícil de criar um sistema que consiga evitar que jogos piratas sejam jogados no pc, nem mesmo as tentativas polêmicas da EA de obrigar os jogadores a permanecerem conectados enquanto jogam parecem ter surtido algum efeito.

Atualmente dois estilos de jogo tem crescido de maneira visível no mercado de pcs, os jogos sociais e os jogos MMO gratuitos com pagamentos de itens exclusivos. Como não existe pirataria neste modelo de jogo e o jogador tem inúmeras vantagens ao pagar por itens, os lucros obtidos acabam sendo interessantes para as empresas.

Acredito que uma forma bastante interessante de fazer com que os jogadores paguem pelos jogos originais no PC é investir pesado em componentes multiplayer online para seus jogos, não precisando obriga-los a permanecerem conectados, mas simplesmente desenvolvendo modos online que chamem a atenção destes. Até porque evitar que jogos piratas se conectem a servidores oficiais é algo fácil e que as produtoras conseguem fazer sem dificuldades.

O mercado de jogos para PCs sempre existirá, mesmo que grandes franquias não cheguem até ele, o que é comum neste mercado desde sempre, pequenas companhias que não tem condições de pagar pelos caros kits de desenvolvimentos para consoles verão no mercado de pcs uma oportunidade de atingir um público que poderá dar a visibilidade para entrar neste mercado tão competitivo.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *