Sem luz, sem água… e sem sorte!

Já que é para reclamar, vamos reclamar bem reclamado logo!

* Não bastasse você viver numa cidade onde o Metrô te joga na cara um aviso “Prezado cliente, devido às altas temperaturas, alguns vagões estão circulando sem o sistema de ar condicionado, o MetrôRio pede desculpas e agradece a compreensão” (esse aviso pôde ser ouvido entre 6/11 e 9/11)… [Legal, ninguém avisou para MetrôRio que, sem manutenção adequada, o ar condicionado, em uma cidade geladééééééérrima como o Rio de Janeiro, seria exigido ao máximo nas proximidades do verão e poderia acaba pifando… e nem mesmo avisaram que, realmente, às vésperas do verão, seria necessário usar o Ar Condicionado em vagões com janelas lacradas numa cidade onde faz cerca de 30ºC… à noite.]

* Não bastasse você viver numa cidade onde a concessionária de energia elétrica (“Light”), após uma forte onda de calor às vésperas do verão, e após várias quedas no fornecimento, diz que a culpa é dos consumidores que compram aparelhos novos (especialmente ar condicionado) e NÃO AVISAM A ELA! [Tadinha, como ela iria desconfiar que num ano onde a economia melhorou um pouquinho após a crise, as pessoas teriam comprado aparelhos de ar condicionado? E, pior, que quando fizesse um calor digno de alto verão as pessoas OUSARIAM usá-los e SEM INFORMÁ-LA, para que ela fizesse ajustes devido à alta demanda. ¬¬]

* Não bastasse você viver numa cidade onde a tubulação (de água) é pré-histórica e, por conta disso, no meu caso particular (mas que muitos deve ter passado por situações análogas), ficar esperando alguns DIAS para nossa super “Companhia Estadual Estadual de Água e Esgoto” (e sua eficiência digna das piadas que faz com funcionário público) fosse trocar o cano que leva água da rua para o condomínio (o que significa dias com entrada reduzida de água e momentos de seca, isso tudo nos dias da tal onda de calor já mencionada)…

Pois bem, não bastasse isso tudo…

Ainda me acontece:

Ontem estava eu a caminhar para casa para cara quando, a cerca de uns 20m do portão do condomínio, faz-se a escuridão. “Legal, faltou luz.”, pensei. Após algumas tateadas atrás da chave dentro da bolsa, da chave certa no chaveiro e de onde estava o buraco da fechadura nas portas, adentrei no meu lar. Acendi algumas velas (estrategicamente posicionadas para fácil localização em caso de falta de luz) e, diante da total falta do que fazer, inverti minha rotina e comecei pelo banho, obrigatoriamente frio (bom, como está calor, não dá pra reclamar…). Depois ajeitei a comida e tive um autêntico jantar à luz de velas… sozinho. Ainda tentei inspecionar o conteúdo de uma das minhas encomendas que chegara naquele mesmo dia, mas cada movimento meu para abrir a caixa, no completo silêncio, quase que ecoava pela casa… ainda tentei ligar para a Light para saber se havia alguma previsão para retorno a energia, mas a ligação sequer completava… e nesse momento eu tive certeza que o caso era sério.

A essa hora já era cerca de 0:00h, então eu resolvi ajeitar as coisas e ir dormir. Tomei a precaução extra de deixar o ventilador ligado para que assim que a luz voltasse eu tivesse um ventinho pra ajudar contra o calor. Em algum momento no meio da madrugada, a luz voltou e senti o vento dando uma refrescada no ambiente, mas instantes depois a luz apagou de novo. Oh, sorte! Em algum momento posterior a luz voltou, dessa vez em definitivo. Em algum outro momento, depois de o dia clarear, uma desgraça de um passarinho que o vizinho tem, resolveu ativar seu modo “Luciano Pavarotti” e cantou das 6:15h até depois das 7:00h e fui forçado a acordar antes da hora. Alguém aí tem uma espingarda de ar comprimido??? Vou treinar minhas habilidades sniper com aquele miserável!

Levantei, religuei o computador e fui ajeitar algumas coisas quando me dou conta de mais uma coisa: não tem água! De noite sem luz e de dia sem água! Há! Como eu já mencionei anteriormente, lá em casa já havia problemas om água há alguns dias. Então a falta d’água até era uma consequência da situação anterior. A água da rua só estava chegando lá em casa na base da bomba puxando a água da rua para as cisternas e a bom das cisternas jogando para as caixas d’água. Como ficou sem luz, as bombas não funcionaram e as cisternas não reabasteceram as caixas. logo, o povo que acorda de madruga pra trabalhar secou as caixas 9que já não tinha muita água. Mas devido a essa situação, tínhamos um estoque de água (em baldes mesmo), ao qual eu fui devidamente recorrer para usar. Bom, quando fui checá-lo, digamos que ele estava com bem menos que o que seria desejável. Então me vi, em pleno ano de 2009, tomando um anacrônico banho de balde e com quantidade água racionada! Algo mais Idade Média só se a água fosse de poço e o balde de madeira…

Banho de balde (racionado!) tomado, escuto ecos de uma conversa entre o síndico e um morado, ocorrida 2 andares abaixo da minha janela: “Oh, não tá entrando água da rua, eu vou ligar a bomba e jogar o resto de água que tem na cisterna pra vocês.” Opa! Liguei minha bituca e assim que ouvi o barulho da bomba, fui recompor as reservas de água… mas parece que eu não fui o único a tomar ciência da conversa e a água acabou em instantes novamente, mas como a bomba ainda estava funcionando, era questão de mais algum tempo para ter mais um bocadinho de água na caixa. E fiquei nesse chove-mas-não-molha, Rafael-san vs os vizinhos, disputando uns litros de água.. e essa “brincadeira” durou MAIS DE UMA HORA.

A essa altura do campeonato, eu estava atrasado e resolvi ligar para o trabalho para dizer que ia me atrasar. Ligo para o telefone do chefe: cai assim que toco o último número… ligação não está completando… ligo para o telefone da minha mesa (que por ser no salão, outros podem atender)… idem. “OK, matar alguém da Oi/TeleMAL depois”. Saco o celular para ligar para o trabalho e… LESMA LERDA! Putz! Tento liga PARA o meu celular (como teste) e… TCHAN! mesma coisa (!!!!), tento ligar do meu celular de novo e me vem uma mensagenzinha gravada dizendo que o sistema não estava operacional no momento… raios! Raios duplos! Fazer o quê, né?!

Passei a noite no escuro (sem PC, sem TV/Videogame, sem ventilador…), dormi metade da noite no calor (leia-se: MAL), fui acordado antes da hora por um passarinho MALDITO, descubro pouco depois que estava sem água e -melhor!- a reserva de água estava pouco, sou obrigado a tomar banho de balde (e com água racionada!), disputo gota-a-gota uns litros de água com os vizinho por um tempão e nem os telefones funcionam para eu poder avisar que iria chegar atrasado no trabalho. Que fazer, depois de uma dessas??? Ou melhor, depois de TODAS ESSAS?

Sem muita opção, fui me vestir para ir ao trabalho. Terminando de me arrumar, fui pegar a comida, devidamente armadilhada posicionada no fundo da geladeira (não por minha vontade), eis que o pote esbarra num outro pote lá atrás, que por sua vez esbarra na panela de arroz (essa sim, na frente), que dá uma leve girada que, por algum motivo desconhecido na física clássica, faz com que ela perca o equilíbrio e se lance numa queda suicida rumo ao solo. Resultado? Arroz espalhado pelo chão. Adeus, janta. Mais tempo perdido limpando a lambança (e me segurando para não tacar a panela (e o resto que sobrou de arroz nela) na parede.

Balanço final? Um excelente humor antes mesmo de sair de casa e cerca de 3 horas, EU FALEI 3 HORAS!!! de atraso. Alguém aí tem um pedacinho de terra para eu poder cavar um buraco? Não precisa ser muito extenso (+/- 1,80 de comprimento) e nem o buraco vai se fundo… uns 7 palmos tá bom. Depois eu vou entrar nele e você pode tampar. ¬¬

Espero que algo de muito bom esteja pra vir por aí para compensar isso tudo… (um Mega-Sena acumulada, talvez?)

Só para não dizerem que NADA de bom aconteceu… minha Saber Lily ~Distant Avalon~ da Good Smile Company (veja fotos dela na página oficial do produto) chegou junto com um chaveiro da Kujikawa Rise, de Persona 4 (estavam no mesmo pacote).

Eu também descobri que o site AmiAmi (que tem uma versão em inglês – que é a que eu uso), um dos maiores sites japoneses que vendem figures (e similares, incluindo coisas de séries americanas, incluindo alguns HotToys…), agora aceita, ainda em caráter experimental, encomendas tipo SAL (Surface Air Lift), muito mais baratas que o EMS (até então única opção), e já fiz meu pedido-teste: deixei em pre-order uma Hatsune Miku: World is Mine (Brown Frame).

Esse jovem-velho-ranzinza aqui acabou fazendo um post (que inicialmente tinha um propósito) em algo próximo a um monte de reclamações, mas como “causos” às vezes são bem-vindos, ao menos espero que vocês tenham se divertido às custas da minha “sorte”…

Rafael-san, O Enxugador de Gelo

PS: O trecho que começa assim que eu narro que o passarinho me acordou até a palavra “armadilhada” (me referindo a comida na geladeira) teve que ser digitado TRÊS vezes devido a uma interpretação do Blogger de um emoticon que fazia ele pensar que, do emoticon até o início do código responsável por “riscar” a palavra armadilhada, fosse um “comentário de código”, (ou assim ficou me parecendo). Então quando eu ia na aba “Editar HTML” do blog para ajeitar um detalhe do código e voltava para o modo de edição padrão ele “sumia” com o trecho (já que ele achava que era apenas um cometário interno), mas quando eu voltava ao modo de edição de HTML, o trecho simplesmente tinha DESAPARECIDO,não estava como comentário. Na 1ª vez, eu achei que tivesse sido problema na hora de salvar quando eu saí lá no trabalho, na segunda que eu reparei que um “caracter especial” podia estar causando o rolo, mas aí já era tarde, eu já tinha perdido (de novo) o trecho que eu redigitei…

LEGAL, NÉ!?

Comments

  1. Responder

  2. Responder

  3. By Vitor

    Responder

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *