Crítica de X-Men: Primeira Classe (2011)

Quando a Fox anunciou que iria fazer um filme contando a origem dos personagens Xavier e Magneto, como eles se tornaram amigos sendo baseada na HQ todos ficaram ansiosos principalmente com os excelentes filmes que os mutantes tinham até aquele momento.

Mas ai saiu o X-Men Origens: Wolverine que foi muito abaixo da crítica e todos ficaram preocupados que X-men: Primeira Classe sofresse dos mesmos problemas que o filme do baixinho canadense. Felizmente a volta de Bryan Singer como produtor e a direção de Matthew Vaughn conseguiram um feito que parecia impossível: Um filme que consegue ser melhor que a trilogia.

Pode parecer exagero a afirmação acima, mas este filme consegue trazer tudo de bom que existia nos filmes anteriores. A primeira delas são os personagens Xavier e Magneto, se estes foram magistralmente interpretados pelos atores Patrick Stewart e Ian McKellen, seus novos interpretes James McAvoy e Michael Fassbender conseguem manter a mesma qualidade.

A grande força deste filme está na relação destes personagens que se respeitam e demonstram admiração mútua mesmo tendo opiniões completamente diferentes sobre como devem tratar os humanos.

O filme tem muito êxito em mostrar ambos desde a sua infância, enquanto Magneto sofre nos campos de concentração tornando-o uma pessoa amargurada que persegue a todo custo se vingar, Xavier tem uma vida mais tranquila estudando em universidades, se divertindo e até mesmo mostrando um lado paquerador que não estamos acostumados a ver.

Além disso os outros heróis que aparecem no filme são tão interessantes quanto os protagonistas, a Mistica que aqui aparece jovem com dificuldades em aceitar a sua aparência anormal, inclusive tornando-a próxima do Fera que também tem as mesmas angustias.

Outro destaque é o vilão Sebastian Shaw interpretado por Kevin Bacon que consegue torna-lo uma figura assustadora ao demonstrar uma segurança enorme em suas atitudes demonstrando controle absoluto sobre tudo que está fazendo. E até mesmo o objetivo do seu plano faz bastante sentido nos fazendo compreender as atitudes dele para seguir em frente.

Não demora e logo nos vemos torcendo para que tudo dê certo e acabamos nos impactarmos pelos acontecimentos do filme principalmente no final o que é uma das maiores qualidades do longa-metragem visto que já conhecemos o destino destes personagens o que poderia comprometer toda a obra, o que felizmente não acontece.

Não posso deixar de comentar o aparecimento de alguns personagens já famosos na franquia que fizeram a sala de cinema vibrar, uma destas eu já considero um clássico instantâneo.

Não perca a oportunidade de assistir X-Men: Primeira Classe o mais rápido possível, independente de ser fã dos mutantes, pois ele tem todas as qualidades necessárias para agradar a todos que gostam de um bom filme.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *